Comércio com A.Latina acirra disputa entre McCain e Obama

Saint Louis (EUA), 2 out (EFE).- O comitê de campanha do candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, acusou hoje Barack Obama de rejeitar acordos comerciais com países da América Latina, o que foi prontamente negado por um representante do aspirante democrata à Casa Branca.

EFE |

A acusação republicana e a posterior resposta democrata tiveram como cenário o Museu de História de Saint Louis, onde os principais assessores da área econômica de McCain e Obama, Douglas Holz-Eakin e Austin Goolsbee, respectivamente, se enfrentaram em um debate.

Goolsbee destacou que o comércio "não é um inimigo", e que "Estados Unidos não podem cavar um fosso ao redor". Ao mesmo tempo, avaliou que milhões de pessoas não se beneficiaram de acordos comerciais recentes.

Afirmou que Obama se opõe ao Tratado de Livre-Comércio (TLC) com a América Central e a República Dominicana porque o documento "está cheio de cláusulas que beneficiam determinados setores".

Citou em particular um dispositivo que permite às empresas farmacêuticas americanas venderem seus remédios a altos preços na região, mesmo quando nos EUA estiverem disponíveis versões genéricas mais baratas do mesmo medicamento, acrescentou o assessor democrata.

Goolsbee também sinalizou que Obama negociará com o México e o Canadá um reforço das normas de proteção laboral e do meio ambiente incluídas no Acordo de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês).

Holz-Eakin rebateu com uma forte crítica às posições defendidas por Obama. Convinha a ele ser contra o livre-comércio nas primárias de Ohio, e agora Obama diz ser a favor", afirmou o economista republicano.

Ohio é um estado que perdeu grande quantidade de empregos pelo desmantelamento de sua indústria manufatureira.

Da mesma forma, Holz-Eakin disse que Obama rejeita "por motivos políticos" o TLC oficializado entre o Governo do presidente George W. Bush e a Colômbia, pendente apenas de aprovação no Congresso americano para prosperar.

"Obama se opõe ao acordo com a Colômbia apesar de ter as mesmas normas ambientais e trabalhistas que o do Peru, que ele diz apoiar", completou o assessor republicano.

Após o debate, Holz-Eakin disse à Agência Efe que McCain é favorável a "um acordo comercial entre o norte e o sul das Américas", que poderia ser similar à tentativa frustrada de implantação da Área de Livre-Comércio das Américas (Alca). EFE cma/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG