Comer peixe e azeite reduz risco de degeneração macular, diz pesquisa

Washington, 11 mai (EFE).- Uma dieta que inclua regularmente peixe, frutas secas e azeite de oliva e evite as gorduras trans pode reduzir o risco de degeneração macular quando se envelhece, segundo artigos publicados hoje na revista Archives of Ophthalmology.

EFE |

Calcula-se que três milhões de pessoas nos Estados Unidos se encontrem nos estágios avançados da degeneração macular relacionada com a idade. O problema é a causa principal da perda grave de visão nos maiores de 65 anos.

Entre os fatores de risco estão idade, marcadores genéticos, e o hábito de fumar, que é o único indicador de risco que, conforme foi documentado, é possível de ser modificado voluntariamente.

Em um dos estudos, uma equipe liderada por Jennifer Tan, da Universidade de Sydney, analisou os casos de 2.454 participantes que completaram pesquisas sobre sua ingestão de vários ácidos graxos.

Foram usadas fotografias digitais da retina para avaliar o desenvolvimento da degeneração macular cinco e dez anos depois da pesquisa, que foi realizada entre 1991 e 1994.

Depois dos ajustes por idade, sexo e tabagismo, a ingestão de uma porção semanal de peixe apareceu vinculada com uma redução de 31% de desenvolvimento precoce da degeneração macular.

Essa conexão foi mais firme entre os indivíduos com uma baixa ingestão de ácido linoléico, um ácido graxo ômega 6 insaturado que se encontra principalmente nos óleos vegetais. A ingestão de uma ou duas porções semanais de frutas secas (nozes, amêndoas, etc) foi vinculada a uma redução de 35% no risco.

No outro estudo, a equipe liderada por Elaine W.T. Chong, do Centro para a Pesquisa do Olho na Austrália, analisou os dados de 6.734 indivíduos com idades de 58 a 69 anos.

Entre 1990 e 1994 foram analisadas as ingestões de nutrientes dos participantes a partir de um questionário sobre a frequência de consumo certas comidas, e foi feito o acompanhamento para detectar a degeneração macular entre 2003 e 2006.

Os indivíduos que consumiram níveis mais altos de gorduras trans não saturadas, encontradas em alimentos pré-cozidos, foram os que tinham mais probabilidades de estar na etapa avançada da degeneração macular.

Já os que tinham consumido mais ácidos ômega 3 gordurosos tinham mais possibilidades de estar na etapa inicial da doença.

"Uma ingestão de 100 mililitros ou mais de azeite de oliva por semana apareceu vinculada com uma menor prevalência de ter sequer a degeneração macular em etapa adiantada", ressalta o artigo.

Por outro lado, este estudo destacou que os pesquisadores "não encontraram associações significativas entre a degeneração macular e as ingestões de peixe, total de gorduras, banha ou margarina".

A pesquisa científica descobriu que os ácidos graxos trans não saturados aumentam o risco de doença coronária cardíaca através dos efeitos sobre os níveis de colesterol e, possivelmente, por inflamação.

Por outro lado, acredita-se que os ácidos graxos ômega 3 protegem contra danos da retina e, portanto, reduzem o risco de degeneração macular. EFE jab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG