Comer menos carne não reduzirá aquecimento global, diz estudo

Comer menos carne não reduzirá o aquecimento global e aqueles que sustentam essa teoria desviam a atenção da sociedade sobre as verdadeiras causas das mudanças climáticas, afirmou nesta segunda-feira um especialista americano.

AFP |

"Está claro que podemos reduzir nossa produção de gases nocivos, mas não consumindo menos carne ou leite", afirma Frank Mitloehner, especialista em qualidade do ar da Universidade da Califórnia-Davis durante uma conferência da American Chemical Society, na Califórnia.

No estudo, Mitloehner insiste em desmetir certos informes, incluindo um publicado em 2006 pelas Nações Unidas, que supervaloriza o papel dos animais no aquecimento global.


Os pequisadores afirmam que o consumo menor de carne e leite
não reduzirá o aquecimento global (Imagem/Getty Images)

Recentemente, uma campanha europeia com forte apoio do ex-Beatle Paul McCartney, ativista vegetariano, defendia o slogan "Menos carne = menos aquecimento".

"McCartney e os demais têm boas intenções, mas não possuem bons conhecimentos nas complexas relações entre as atividades humanas, a digestão animal, a produção de alimentos e a química atmosférica", declarou Mitloehner.

Os países em desenvolvimento "teriam que adotar modos de lidar com o gado mais eficazes, ao estilo ocidental, para produzir mais alimentos com uma menor produção de gases de efeito estufa", acrescentou o cientista.

"Produzir menos carne e leite levará apenas mais fome aos países pobres", concluiu.

Leia mais sobre: Aquecimento global

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG