Nairóbi, 6 nov (EFE).- O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, preside hoje em Nairóbi (Quênia) uma cúpula, prevista pela ONU e União Africana (UA), para buscar acordos que permitam resolver o conflito no leste da Republica Democrática do Congo (RDC), onde milhares de pessoas estão à beira de um desastre humanitário.

A reunião foi iniciada pouco depois das 13h (8h, horário de Brasília), liderada por Ban e com a participação, entre outros, dos presidentes da RDC, Joseph Kabila, e de Ruanda, Paul Kagame, considerados figuras essenciais para a solução do conflito.

Anteriormente, alguns dos presentes haviam tido reuniões bilaterais durante a manhã, disse aos jornalistas Nasser Ege Musa, um dos porta-vozes da ONU, que não informou quem participou dos encontros nem o que trataram.

O Governo da RDC acusa Kagame de apoiar os rebeldes tutsis do Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP), que nas últimas semanas ocuparam grande parte da província leste congolesa de Kivu Norte.

Já as autoridades ruandesas acusam Kabila de respaldar as Forças Democráticas de Libertação de Ruanda (FDLR), envolvidas no genocídio ruandês de 1994 e que têm suas bases no leste da RDC, de onde realizam ataques em território da Ruanda.

O presidente da Tanzânia e da UA, Jakaya Kikwete, além dos presidentes de Quênia, Mwai Kibaki, de Burundi, Pierre Nkurunziza, de Uganda, Yoweri Museveni, e da República do Congo, Denis Sassou, também participam da Cúpula.

Além de Ban e dos dirigentes africanos, no encontro estão o comissário de Desenvolvimento e Ajuda Humanitária da União Européia (UE), o belga Louis Michel, e a subsecretária de Estado adjunta dos Estados Unidos para a África, Jendayi Frazer.

Também há representantes de França, Reino Unido, Suécia, Holanda, Japão, Canadá e Espanha.

Antes de partir de Nova York para a reunião, Ban disse ontem em entrevista coletiva que havia previsto se reunir com Kabila e Kagame para "incentivá-los a encontrar o caminho da paz". EFE pa/fh/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.