Começa no Kansas julgamento de asassino de médico que fazia abortos

O julgamento do homem que matou a tiros um dos médicos aborteiros mais conhecidos dos Estados Unidos começou nesta segunda-feira, em um caso que mais uma vez levanta a polêmica do aborto no país.

AFP |

Scott Roeder, de 51 anos, é acusado de homicídio em primeiro grau pela morte de George Tiller, no dia 31 de maio, na igreja que frequentava no Kansas.

Tiller, de 67 anos, era um dos poucos médicos dos Estados Unidos que aceitava realizar abortos no terceiro trimestre de gestação. Há anos, era demonizado por grupos anti-aborto, que o chamam de "asassino de bebês".

Sua morte foi um ato de "terrorismo doméstico" para intimidar outros médicos que aceitam fazer abortos, disse Terry O'Neill, presidente da Organização Nacional pela Livre Escolha das Mulheres (NOW, na sigla em inglês).

"O asassinato de Scott Roeder não mirava apenas no doutor Tiller, e sim em outros médicos", declarou O'Neill à AFP. "Essa é a essência do terrorismo".

Em depoimentos na prisão, Roeder admitiu ter disparado contra Tiller, mas declarou-se inocente, alegando q sua ação era necessária para salvar a vida de crianças não nascidas.

A família de Tiller fechou sua clínica depois do crime, e um médico de Nebraska inicialmente interessado em reabri-la desistiu da ideia, confrontado por ameaças e protestos.

A seleção dos jurados começa nesta segunda-feira.

str-mso/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG