Começa a histórica cúpula entre negociadores de Taiwan e China

Taipé - Os principais negociadores de Taiwan e China iniciaram hoje uma histórica reunião da qual são esperados quatro acordos e o fortalecimento das relações bilaterais.

EFE |

O chefe dos negociadores chinês, Chen Yunlin, e seu colega taiuanês, Chiang Pin-kung, iniciaram a primeira rodada de negociações entre Taiwan e China realizada na ilha.

Enquanto isso, a oposição independentista protestava por temer que a visita de Chen leve a pactos que favoreçam a unificação com a China.

A visita de Chen, presidente da Associação para as Relações entre as Duas Margens do Estreito de Taiwan (ARATS), é um marco no desenvolvimento dos contatos entre as duas regiões, iniciados em 1993 com a cúpula entre os negociadores Koo Cheng-fu, por Taiwan, e Wang Daohan, pela China, realizada em Cingapura.

Espera-se que nas negociações Chiang e Chen assinem quatro convênios, em representação de seus respectivos Governos, sobre o transporte aéreo direto de passageiros e carga, o transporte marítimo direto, os vínculos postais e a segurança alimentar.

Além disso, acontecerão encontros para a criação de um mecanismo de cooperação financeira entre Taiwan e China, para enfrentar a crise econômica mundial.

"Sabemos que a maioria das pessoas em Taiwan apóia esta reunião histórica, já que os quatro acordos não apenas reduzirão a distância de vôo entre Taiwan e China para os empresários taiuaneses na China, mas ajudarão a elevar a competitividade das pequenas e médias empresas taiuanesas estabelecidas na China", disse Chiang.

Os acordos vão gerar uma economia de milhões de dólares em custos de transporte para as empresas taiuanesas que investiram na China.

As negociações não abordarão temas políticos, mas na possível reunião, na quinta-feira, entre Chen Yunlin e o presidente taiuanês, Ma Ying-jeou, este tema não poderá ser evitado.

Fontes extra-oficiais asseguram que Ma pedirá a Chen que a China retire os 1.300 mísseis apontados para a ilha, mas até o momento não há nada oficial, nem sequer a confirmação do encontro.

    Leia tudo sobre: chinataiwan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG