Começa a cúpula de Sharm el-Sheik por uma trégua duradoura em Gaza

Uma reunião de cúpula internacional de líderes árabes e europeus para consolidar o cessar-fogo na Faixa de Gaza começou neste domingo em Sharm el-Sheik, às margens do Mar Vermelho.

AFP |

Co-presidida pelo presidente egípcio Hosni Mubarak e pelo francês Nicolas Sarkozy, a reunião na estação balneária ocorre no primeiro dia do frágil cessar-fogo unilateral decretado por Israel depois de três semanas de uma sangrenta operação na Faixa de Gaza.

"Desde ontem, sinais de distensão da crise estão surgindo", declarou Mubarak na abertura desta reunião, acrescentando que "questões importantes precisam da manutenção dos esforços do Egito".

Entre os objetivos, ele citou o respeito ao cessar-fogo iniciado à noite, sua consolidação, assim como a retirada das tropas israelenses da Faixa de Gaza, o fim do bloqueio e o retorno da trégua.

Um líder do movimento islâmico Hamas, exilado em Damasco, Mussa Abu Marzuk, anunciou neste domingo um cessar-fogo em Gaza e exigiu que Israel retire suas forças do território palestino em uma semana.

Sarkozy ficou discursou na abertura da reunião, saudando a interrupção dos combates no enclave palestino e elogiando os esforços do Egito para pôr fim ao conflito de maneira negociada.

"O Egito foi criticado, mas trabalhou bem", disse Sarkozy, que ao lado de Mubarak havia anunciado há dez dias, também em Sharm el-Sheik, uma iniciativa para encontrar uma saída negociada para a guerra.

Desde seu início, no dia 27 de dezembro, a operação "Chumbo Grosso", lançada segundo Jerusalém, para pôr fim aos disparos de foguetes do movimento islâmico Hamas, causou a morte de pelo menos 1.300 palestinos.

A cúpula de Sharm el-Sheik visa a "discutir em conjunto como contribuir para evitar essa tragédia", declarou à AFP o porta-voz egípcio de Relações Exteriores, Hossam Zaki.

Participam da reunião os chefes de Estado ou de governo, assim como os ministros das Relações Exteriores, de Alemanha, Espanha, França, Reino Unido, Itália, Turquia e Jordânia, além do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

O Egito mantém a mediação entre Israel e o Hamas para alcançar uma trégua duradoura na Faixa de Gaza, ressaltou Zaki, destacando que "a iniciativa egípcia é sempre válida".

Zaki indicou que as autoridades egípcias haviam se reunido neste domingo com uma delegação do Hamas para dar continuidade às conversações sobre a base do plano egípcio para pôr fim à violência.

Antes de sua chegada, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown ressaltou que "este conflito mostrou novamente a necessidade urgente de se elaborar um regulamento de longo prazo que garanta a segurança de israelenses e palestinos".

Os seis líderes dos grandes países europeus presentes na reunião de Sharm el-Sheik foram convidados para um jantar pelo primeiro-ministro israelense Ehud Olmert.

bur-an/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG