Começa 3ª rodada de diálogo no Líbano para resolver crise nacional

Beirute, 22 dez (EFE) - A terceira rodada do diálogo nacional, que reúne 14 dirigentes políticos libaneses, começou hoje no palácio presidencial de Baabda, em Beirute, em uma tentativa de tirar o país da crise política na qual se encontra imerso.

EFE |

A reunião de hoje se centrará na estratégia de defesa nacional, que divide os libaneses, e cujo ponto mais polêmico são as armas em poder do grupo xiita Hisbolá.

O jornal internacional árabe "Al-Hayat" informou que a maioria parlamentar pedirá esclarecimentos ao Hisbolá por declarações recentes de um de seus líderes, xeque Naim Qassem, nas quais assegurou que "a resistência continuará até a libertação da Palestina".

Já o jornal "L'Orient-Le Jour" antecipou que o líder cristão Samir Geagea, membro da maioria, apresentará um projeto sobre a estratégia de defesa, que pede que esta seja popular, mas sob o controle exclusivo do Estado, semelhante ao modelo suíço.

Na rodada anterior do diálogo nacional, realizada em 22 de novembro, o líder cristão Michel Aoun, membro da oposição, propôs a idéia, que foi criticada pelas Forças de 14 de Março, pertencentes à maioria.

Por outro lado, o líder druso Walid Jumblatt afirmou que seria melhor encontrar primeiro uma solução imediatamente ao problema das armas dos palestinos fora dos campos de refugiados, já que a estratégia de defesa precisa de "muito tempo".

Durante a reunião, segundo o jornal "As-Safir", o presidente do Líbano, Michel Suleiman, debaterá as ameaças e atuações israelenses como as violações do espaço aéreo libanês e a "linha azul", ou o seqüestro de civis e as manobras militares que o país realiza desde o fim do conflito de 2006. EFE ks/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG