Combates no Sri Lanka matam 23 rebeldes e 1 civil

Nova Délhi, 19 mar (EFE).- O Exército do Sri Lanka afirmou hoje que pelo menos 23 rebeldes tâmeis e um colaborador de uma organização internacional morreram durante combates registrados no norte da ilha.

EFE |

Segundo um comunicado do Ministério da Defesa cingalês, os confrontos ocorreram a nordeste do município de Puthukkudiyirippu, o último reduto urbano sob domínio da guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE).

A organização Care International confirmou a morte de um de seus funcionários, que havia ficado ferido na terça-feira passada durante um bombardeio quando se refugiava em uma zona segura para civis estabelecida pelo Exército.

A vítima, R. Sabesan, de 24 anos, não conseguiu deixar a zona dos combates depois de o Governo cingalês ter pedido às agências internacionais para que se retirassem das áreas dominadas pelos LTTE, em setembro do ano passado.

A porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha no Sri Lanka, Sarasi Wijeratne, disse à Agência Efe que um dos membros de sua organização foi ferido no norte do país.

Além disso, o site Tamilnet, de postura pró-LTTE, publicou a denúncia de uma organização sem fins lucrativos com base em Nova York que acusa a ONU de diminuir o número de vítimas civis dentro da zona segura em seus relatórios para "proteger" o Governo do Sri Lanka.

Segundo esta última versão, a zona de combates ficou reduzida a 45 quilômetros quadrados, nos quais está incluída a zona de segurança, e a média de vítimas por dia passou de 33 para 63.

O Tamilnet também denuncia que as tropas cingalesas continuam atacando com armamento pesado a zona para civis, local que não dispõe de assistência médica adequada. EFE mb/bba/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG