Combates entre milícias matam 10 e ferem 30 na Somália

Johanesburgo, 10 mai (EFE).- Dez pessoas morreram e pelo menos outras 30 ficaram feridas hoje, em Mogadíscio, nos combates entre milícias islâmicas fiéis ao Governo do presidente Sharif Sheikh Ahmed e outras aliadas do grupo radical Al-Shabaab, informou a emissora local Rádio Shabelle.

EFE |

Com estes dez mortos, o número de vítimas fatais sobe para mais de 20 mortos, na maioria civis, em consequência dos combates, iniciados na quinta-feira passada, quando estas milícias começaram os confrontos com ataques mútuos em Mogadíscio.

Os enfrentamentos de hoje começaram quando o veículo de um membro de Parlamento da Somália, leal ao presidente Sheikh Ahmed, foi atacado ao passar perto de uma delegacia de Polícia, onde duas pessoas morreram e três ficaram feridas.

Por causa deste primeiro ataque, começaram fortes combates entre os dois lados, concentrados no distrito de Wardhigley. Segundo testemunhas citadas pela "Rádio Shabelle", um morteiro matou quatro membros de uma mesma família.

Um dos operadores das ambulâncias que foram ao local dos enfrentamentos informou à "Rádio Shabelle" que mais de 30 civis tiveram que ser levados a hospitais da região.

O presidente da Somália é o líder do grupo islâmico moderado Aliança para a Relibertação da Somália (ARS) e foi eleito dirigente do país pelo Parlamento somali, reunido no vizinho Djibuti, em 31 de janeiro.

Alguns grupos armados fundamentalistas islâmicos radicais, entre eles o Al-Shabaab, que ocupa grande parte do território somali e que os EUA relacionam à Al Qaeda, não aceitam o novo Governo e asseguraram que continuarão sua luta contra ele até derrubá-lo. EFE hc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG