Vinte separatistas muçulmanos e sete soldados filipinos morreram em combates no sul das Filipinas, durante uma visita à região da presidente Gloria Arroyo, revelou neste sábado um porta-voz do Exército.

Pelo menos 60 rebeldes da Frente Moro Islâmica de Libertação (MILF) atacaram uma patrulha na quinta-feira, na zona de Mamasapano, a cerca de 10 km da capital provincial, Cotabato, antes da visita da presidente Arroyo, revelou o tenente-coronel Jonathan Ponce.

Arroyo visitou a região na sexta-feira, apesar da intensificação dos combates, que mataram 20 membros da MILF e sete soldados filipinos, informou Ponce.

cgm/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.