Cartum, 15 dez (EFE).- Mais 250 pessoas morreram na última semana em confrontos tribais na região de Darfur, no oeste do Sudão, informou hoje em comunicado a Unamid, a força conjunta da ONU e da União da Africana (UA) na região.

Segundo a nota, mais de 100 pessoas morreram em combates entre duas famílias da tribo al-Qamar na província de Darfur Sul, enquanto entre 70 e 150 morreram na quinta-feira passada em confrontos entre os clãs de Habaniya e Salamat na mesma província.

Além disso, a luta entre grupos rivais da tribo de Habaniya forçou mais de 5 mil pessoas a abandonar seus lares na busca por locais mais seguros, afirmou o texto.

Alguns clãs acusam o Executivo de apoiar determinadas milícias tribais, o que Governo nega.

Em uma conversa telefônica com a Agência Efe, um dirigente da tribo Salamat, que pediu para não ser identificado, acusou de Nyala, capital de Darfur Sul, o Governo da província de estar envolvido nos ataques e afirmou que nos últimos combates foram utilizadas armas pesadas de que só as forças governamentais dispõem.

Darfur Sul é uma das três províncias que compõem a região de Darfur, em conflito desde janeiro de 2003 para exigir uma maior participação na repartição do poder e das riquezas do país.

Desde então, aproximadamente 300 mil pessoas morreram e cerca de 2,5 milhões se viram obrigadas a abandonar seus lares, segundo cálculos da ONU. EFE nz/ab/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.