Um combatente inimigo do Qatar, detido nos EUA desde 2001, foi acusado de apoio material ao terrorismo e de complô por uma corte federal, um fato inédito desde a chegada de Barack Obama à Casa Branca, em 20 de janeiro, anunciou nesta sexta-feira uma fonte judicial.

De acordo com a ata de acusação, Ali al-Marri "conspirou deliberadamente para fornecer apoio material e recursos a uma organização terrorista estrangeira chamada Al-Qaeda".

Num momento em que o destino dos prisioneiros de Guantánamo já acusados ainda é incerto, o indiciamento de Al-Marri, declarado "combatente inimigo" por George W. Bush em 2003 e único neste caso detido no solo americano, é o primeiro diante de uma corte federal.

Os combatentes inimigos indiciados eram até então julgados pelos tribunais de exceção em Guantánamo.

lum/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.