Combate no Mali mata 12 membros da Al Qaeda e 8 militares

Bamaco, 17 jun (EFE).- Pelo menos 12 membros da organização Al Qaeda para o Magrebe Islâmico (AQMI) e oito militares malineses morreram na terça-feira em um ataque do Exército de Mali a uma base terrorista perto da fronteira deste país com a Argélia, informaram hoje à Agência Efe fontes oficiais em Bamaco.

EFE |

Esta é a primeira vez em que militares malineses atacam uma base da Al Qaeda no norte do país, onde no início do mês a organização terrorista matou o turista britânico Edwin Dyer, sequestrado no Níger em janeiro.

Após o assassinato de Dyer, o presidente do Mali, Amadou Touré, anunciou uma "luta sem quartel" contra as bases desta ramificação da Al Qaeda no norte do país.

O grupo ainda tem em seu poder o turista suíço Werner Greiner, sequestrado junto a Dyer e outras duas turistas ocidentais.

Uma cidadã suíça e outra alemã foram libertadas em abril junto com o enviado da ONU no Níger, o canadense Robert Fowler e seu ajudante Louis Guay, também sequestrados pelo AQMI no Níger em dezembro.

Até o assassinato de Dyer, praticamente todos os sequestros de estrangeiros nos países do norte da África tinham chegado ao fim com a libertação dos capturados, após uma ofensiva militar ou após o suposto pagamento de um resgate, algo que nunca foi confirmado pelos Governos ocidentais. EFE id-jg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG