Comandantes das Farc estão instalados em Cuba, Venezuela e Equador

Vários líderes da guerrilha colombiana das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) se instalaram na Venezuela, no Equador e em Cuba, informou nesta segunda-feira o jornal El Tiempo, citando fontes de inteligência.

AFP |

Fontes do ministério da Defesa já tinham indicado à AFP há várias semanas que relatórios mencionavam a presença de dirigentes das Farc na Venezuela e no Equador.

De acordo com o jornal, apenas três dos sete membros do diretório político das Farc estão na Colômbia, entre eles os mais importantes: Alfonso Caño, o líder do movimento guerrilheiro, e Jorge Briceño, mais conhecido como Mono Jojoy, chefe militar das Farc e alvo número um do Exército da Colômbia.

Um dos membros da ala política das Farc reside de forma permanente no exterior, assim como quatro do estado-maior, segundo o jornal.

Os três outros membros do diretório político entram e saem constantemente do país, destacou.

A informação já foi motivo de tensões entre os ministérios das Relações Exteriores de países latino-americanos.

As relações diplomáticas entre a Colômbia e o Equador continuam cortadas, mais de um ano depois do bombardeio pelo Exército colombiano a um campo das Farc neste país.

Ao contrário, Bogotá restabeleceu relações com o governo do presidente venezuelano Hugo Chávez. Entretanto, segundo o relatório, Luciano Martin, também conhecido como Ivan Marquez, um dos mais importantes membros do diretório político das Farc, está na Venezuela, de onde redige os comunicados da guerrilha.

No total, cinco líderes das Farc estariam neste país, e outros quatro no Equador.

De acordo com o jornal, são as mesmas informações dos serviços de inteligência que permitiram a detenção no México de Miguel Beltran, conhecido como Jaime Cienfuego, o suposto ideólogo da guerrilha.

axm/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG