Comandante dos EUA quer mais 2.000 soldados no Afeganistão

General David Petraeus fexz o pedido, apesar do apoio cada vez mais reduzido ao conflito nos países que contribuem com tropas

Reuters |

O comandante das forças dos Estados Unidos e da Otan no Afeganistão solicitou o envio de mais 2.000 soldados para enfrentar a insurgência do Taliban, apesar do apoio cada vez mais reduzido ao conflito nos países que contribuem com tropas, segundo funcionários da Otan.

Essas fontes disseram que o pedido do general David Petraeus foi feito na semana passada e inclui 750 instrutores militares adicionais para dar treinamento às forças afegãs.

"Foi determinado que cerca de 2.000 forças seriam necessárias", disse um funcionário da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) sob anonimato. "Há uma discussão em andamento sobre a questão."

O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, está em visita a Washington na segunda e terça-feira. Subordinados de Petraeus em Cabul disseram que não comentariam o assunto, e recomendaram um contato com a sede da aliança ocidental, em Bruxelas.

Uma fonte da organização disse que provavelmente os EUA oferecerão mais tropas ao contingente internacional no Afeganistão, que já é de cerca de 150 mil soldados. Mas a aliança também estaria procurando contribuições de outros países.

Desde que foi eleito, o presidente Barack Obama já enviou dezenas de milhares de soldados adicionais para o Afeganistão, mas afirmou que o contingente extra começará a ser retirado gradualmente em julho de 2011.

Críticos dizem que a estratégia dele saiu pela culatra, por passar ao Taliban um recado de que os EUA estão preparando para deixar o país, num momento em que as forças da Otan sofrem seu maior número de baixas no conflito.

Petraeus disse na semana passada que a retirada das tropas dos EUA a partir de julho vai começar com um "emagrecimento" geral do contingente, e não com uma retirada em grande escala.

Ao reforçar o treinamento das forças locais, a Otan espera que o Exército afegão chegue a 171,6 mil soldados até outubro de 2011, e que o contingente policial suba para 134 mil.

O presidente afegão, Hamid Karzai, espera que a partir de 2014 as forças locais substituam totalmente as tropas estrangeiras na tarefa de manter a segurança no país.

O prazo depende, no entanto, do sucesso dos militares estrangeiros no combate ao Taliban e no treinamento das forças locais.

Rasmussen espera que a cúpula de novembro da Otan defina uma data em 2011 para o começo da transferência das atribuições para as forças afegãs. Até meados deste ano, ele dizia que o processo talvez pudesse começar já em 2010.

    Leia tudo sobre: EUAAFEGANISTãOTROPAS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG