Comandante do Taliban é preso no Paquistão, dizem EUA

Por Adam Entous e Sayed Salahuddin WASHINGTON/CABUL (Reuters) - O principal comandante militar do Taliban foi capturado no Paquistão, disseram autoridades dos EUA e do Paquistão na terça-feira. A notícia, no entanto, não deve ser um golpe decisivo para o grupo islâmico em sua resistência contra a ofensiva da Otan.

Reuters |

O Taliban afegão negou que o mulá Abdul Ghani Baradar tenha sido capturado em uma operação conjunta de agências de espionagem dos EUA e Paquistão.

Washington espera que a prisão de Baradar enfraqueça ao menos temporariamente a insurgência no Afeganistão.

"Eu chamaria (a prisão) de significativa", disse uma fonte oficial à Reuters sob anonimato. "Mas mesmo quando você pega os líderes deles, eles têm demonstrado uma incrível resistência para reagir. É uma organização que se adapta".

Uma outra fonte oficial dos EUA confirmou a captura, assim como um funcionário paquistanês que disse: "Sim, é verdade, ele foi preso, está sob nossa custódia."

Essa fonte não quis entrar em detalhes, e as autoridades paquistanesas não se pronunciaram oficialmente. O jornal The New York Times disse que a prisão ocorreu na cidade portuária de Karachi, no sul do Paquistão.

"Um grande número de pessoas fugiu da operação da Otan no Afeganistão e cruzou para o Paquistão. Apanhamos muitas. Estamos investigando-as e agora não podemos divulgar sua identidade", disse a jornalistas o ministro paquistanês do Interior, Rehman Malik.

A prisão pode indicar uma mudança na atitude do Paquistão, que até agora relutava em colaborar com os EUA no combate à insurgência do Afeganistão.

"Continuamos buscando oportunidades para coordenar através da fronteira", disse a segunda fonte norte-americana. "Apreciamos a ajuda que recebemos."

Kamran Bokhari, diretor regional da firma global de inteligência Stratfor, disse que o mulá Baradar era um importante adjunto do líder máximo do Taliban, o mulá Omar.

"Não está claro porém que a prisão terá um grande impacto no campo de batalha", disse ele. "Suspeito que o Taliban entregou esse cara aos paquistaneses, que o entregou aos americanos em troca de algumas concessões a respeito do Afeganistão e da Índia."

Um porta-voz do Taliban disse que o mulá Baradar continua no Afeganistão, organizando as atividades militares e políticas do grupo.

"Ele não foi capturado. Querem espalhar esse rumor apenas para desviar a atenção das pessoas em relação às suas derrotas em Marjah e para confundir o público", afirmou à Reuters o militante Zabihullah Mujahid.

(Reportagem adicional de Peter Cooney em Washington, Zeeshan Haider em Islamabad e Faisal Aziz em Karachi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG