O comandante do Exército da Tailândia, general Anupong, viajou nesta terça-feira para o sul muçulmano, um dia depois do massacre em uma mesquita que deixou 12 mortos e 11 feridos.

Na noite de segunda-feira, homens armados invadiram uma mesquita do distrito de Cho-ai-rong, província de Narathiwat, na fronteira com a Malásia, e abriram fogo de modo indiscriminado contra os fiéis.

Este foi um dos incidentes mais graves desde o ressurgimento do separatismo no extremo sul do reino tailandês, há cinco anos.

Alguns moradores acusaram oficiais das forças de segurança tailandesas pelo massacre, alegando que os rebeldes separatistas muçulmanos, ativos na região, nunca atacariam uma mesquita.

str/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.