Comandante das Forças Armadas descarta golpe de Estado na Tailândia

O comandante das Forças Armadas da Tailândia, general Anupong Paojinda, descartou nesta terça-feira a possibilidade de um novo golpe de Estado, horas depois do primeiro-ministro do país, Samak Sundaravej, ter decretado estado de emergência em Bangcoc.

AFP |

"Não há nenhuma possibilidade de golpe de Estado. Devemos recorrer a um mecanismo parlamentar", afirmou o general Anupong.

"Não seria aceitável utilizar meios militares para solucionar o problema. Esta saída está totalmente fechada", insistiu.

O general Anupong disse que os soldados mobilizados ao redor da sede do governo, ocupada há uma semana pelos adversários de Samak, não usam armas e utilizarão apenas os meios clássicos antidistúrbios (cassetete, gás lacrimogêneo, jato d'água) para impedir novos confrontos entre militantes pró e antigovernamentais.

O estado de emergência foi proclamado depois de violentos enfrentamentos na madrugada de segunda-feira para terça-feira na sede de governo, que deixaram saldo de um morto e 44 feridos, três deles a tiros, segundo as autoridades.

Em 2006, as Forças Armadas tailandesas derrubaram o então premier Thaksin Shinawatra, acusado de corrupção e falta de respeito à monarquia. Foi o primeiro golpe de Estado no país desde 1991.

A ocupação da sede do governo foi organizada pela Aliança do Povo pela Democracia (PAD), uma coalizão heterogênea de militantes nacionalistas, monárquicos e sindicais.

O PAD acusa Samak, 73 anos, de ser subordinado ao ex-premier Thaksin, que está refugiado na Grã-Bretanha.

Também nesta terça-feira, a Comissão Eleitoral da Tailândia pediu a dissolução do governamental Partido do Poder do Povo (PPP) por compra de votos. A acusação será investigada pela procuradoria geral.

ask-gs/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG