Comandante da rede Haqqani no Afeganistão é capturado, diz Otan

A Isaf afirmou em comunicado ter prendido Haju Mali Khan; Taleban nega a informação e diz que notícia não tem fundamento

iG São Paulo |

Forças lideradas pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disseram nesse sábado que capturaram um importante comandante da rede Haqqani no Afeganistão, Haji Mali Khan, durante uma operação realizada na província de Paktia nesta semana.

Reuters
Soldados americanos confiscam bandeira Taleban

Khan é "tio de Siraj e Badruddin Haqqani, um dos mais altos membros da rede Haqqani e um ancião respeitado no clã Haqqani", afirmou em comunicado a Força de Assistência à Segurança Internacional (Isaf, na sigla em inglês) da Otan.

A Otan afirmou que Khan gerenciou bases e operações no Afeganistão e no Paquistão e comandou forças além das fronteiras para ataques. Ele também transferiu recursos e suprimentos. O comunicado o classificou como "grande comandante da Haqqani no Afeganistão".

Khan foi detido na terça-feira no distrito de Jani Khel, na província de Paktia, ao lado de seu vice e seu guarda-costas, em uma operação feita por forças afegãs e estrangeiras, disse a Otan.

Ele estava fortemente armado, mas "se entregou sem incidentes ou resistência", informou a Isaf, que não detalhou como identificou Khan.

O Taleban, para o qual a rede Haqqani prometeu submissão, negou que Khan tenha sido capturado. "Eu acabei de falar com Haji Mali Khan. Ele está bem e em algum outro lugar, e não foi preso", afirmou à Reuters o porta-voz Zabihullah Mujahid. "Essa é uma notícia sem fundamento e que foi divulgada para tentar baixar o moral dos mujahedin."

A Otan disse que prendeu 1,3 mil suspeitos de serem insurgentes da Haqqani e 300 líderes insurgentes em 500 operações, que tiveram o objetivo de desmantelar a rede. Cerca de 20 "facilitadores da rede" foram mortos, acrescentou o comunicado.

Ramificações

A rede está por trás de diversos atentados contra as forças de coalizão no Afeganistão. Além disso, a inteligência americana afirma que a organização tem ramificações no Paquistão - o que o governo paquistanês nega.

Reavivando a polêmica, um ex-chefe da segurança paquistanesa admitiu em uma entrevista à BBC que a rede Haqqani está presente no Paquistão.

O general reformado Mahmoud Durani, ex-conselheiro nacional de segurança, reconheceu que os insurgentes da rede operam nas áreas tribais do país.
Durani disse que todas as pessoas que têm cargos de importância na rede estão em atividade no Waziristão do Norte, apesar da presença militar no local.

O Exército paquistanês é acusado de dar apoio aos militantes da organização. Para o ex-general, as tropas não podem avançar sobre os integrantes da rede Haqqani porque estão sobrecarregadas

Com BBC e Reuters

    Leia tudo sobre: paquistãohaqqaniafeganistãotalebanotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG