Com Rosales são três os opositores venezuelanos asilados no Peru

O asilo político concedido pelo Peru ao principal líder opositor venezuelano Manuel Rosales nesta segunda-feira aumenta para três o número de adversários do presidente Hugo Chávez acolhidos como refugiados por Lima desde 2007.

AFP |

O Peru recebeu também como asilados políticos durante o ano 2007 o dirigente sindical Carlos Ortega e Eduardo Lapi, ex-governador do estado de Yaracuy.

Os três casos de asilo foram admitidos durante o governo do presidente Alan García, com quem Chávez teve um forte atrito -hoje superado- na campanha eleitoral do mandatário peruano em 2006.

Ortega foi presidente da Confederação de Trabalhadores da Venezuela e fugiu da prisão militar de Caracas em 2006 onde cumpria uma condenação de 16 anos.

O ex-dirigente sindical foi considerado um dos culpados pelas greves que paralisaram a Venezuela em 2003.

O ex-governador Lapi se refugiou no Peru em abril de 2007, e Lima concedeu a ele o status de asilado político. Lapi era processado na Venezuela por suposto enriquecimento ilícito.

Rosales, prefeito de Maracaibo e ex-candidato à Presidência, chegou ao Peru no dia 4 de abril, embora tenha apresentado formalmente seu pedido de asilo na semana passada alegando ser "um perseguido político".

O asilo poderá permitir a Rosales permanecer em Lima por tempo indeterminado, mas o obriga a se manter longe de polêmicas e a não fazer declarações à imprensa sobre a política venezuelana.

O de Rosales "é um caso de asilo por razões humanitárias; não é o primeiro e não tem por que mudar uma relação entre dois países irmãos, dois povos e dois governos amigos", disse o chanceler peruano, José Antonio García Belaunde.

ljc/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG