Com prefeito ausente, Maracaibo pode ter eleição ainda em 2009

Caracas, 22 abr (EFE).- As eleições na cidade venezuelana de Maracaibo, após a saída do país de seu prefeito, Manuel Rosales, podem acontecer já no final deste ano ou no início de 2010, disse hoje um representante do Poder Eleitoral local.

EFE |

Janeth Hernández, uma das cinco diretoras principais do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), afirmou que o processo para restituir a autoridade municipal começará uma vez que o "Conselho Municipal de Maracaibo ou o Supremo Tribunal" do país declarem o cargo vago.

"Quando um dos dois fizer a declaração, nós imediatamente nos reuniríamos como Poder Eleitoral e estudaríamos a data provável para a nova eleição", completou Hernández em declarações à imprensa local.

O presidente do Conselho Legislativo do estado de Zulia, Eliseu Fermín, assegurou na terça-feira que Evelyn Trejo, mulher de Rosales, é a "primeira opção" para substituí-lo no cargo.

"Evelyn tem a primeira opção, isso não se discute", declarou Fermín à imprensa, sem dar muitos detalhes.

Rosales, acusado de corrupção pela Justiça venezuelana, apareceu hoje pela primeira vez desde que passou à clandestinidade, em Lima, onde pediu asilo com o argumento de que é um perseguido político do Governo Hugo Chávez. EFE gf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG