Com Kadima em crise, Netanyahu chama Livni para coalizão de Governo

Jerusalém, 24 dez (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pediu à líder da oposição, Tzipi Livni, que se junte à coalizão de Governo perante as ameaças de vários deputados de abandonar o Kadima, dirigido por ela.

EFE |

Em um encontro hoje em Jerusalém, o chefe de Governo propôs a Livni a formação de um Governo de união nacional, como noticia o jornal "Ha'aretz" pela internet.

A chefe do Kadima, que nos últimos dias vive com a ameaça de pelo menos sete de seus deputados de deixar o partido, não rejeitou a proposta, como vinha fazendo desde a formação do Governo, em março.

Segundo o diário, Livni respondeu que, se a oferta for real, "o tema está aberto à discussão", mas esclareceu que o partido precisará decidir sobre isso.

O Kadima, criado em 2005 pelo então primeiro-ministro, Ariel Sharon, ganhou as eleições de fevereiro de 2009, mas por impossibilidade de formar uma coalizão parlamentar Netanyahu ficou à frente do Governo.

Hoje, ao tentar convencê-la durante 90 minutos, o premiê explicou que a incorporação do Kadima é crucial para os desafios locais e globais de Israel, mas não entrou em questões relacionadas com a divisão de ministérios.

Netanyahu é acusado pela chefe da oposição de semear a discórdia em seu partido e sondar vários deputados para que abandonem a legenda. EFE elb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG