Com cautela, UE mostra otimismo sobre reunião nuclear com Irã

Bruxelas, 14 set (EFE).- A União Europeia (UE) disse hoje que a próxima reunião com o Irã é um passo positivo na busca por respostas específicas sobre a questão nuclear, embora siga observando com cautela as iniciativas da República Islâmica.

EFE |

O chefe da diplomacia sueca e presidente rotativo do Conselho de Assuntos Exteriores da UE, Carl Bildt, afirmou que há perguntas específicas do Conselho de Segurança da ONU e da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que estão baseadas em atividades específicas dos iranianos.

"E se há respostas específicas, teremos avançado um bom trecho para despejar suspeitas", completou o diplomata antes de um conselho de assuntos gerais e exteriores da UE em Bruxelas.

As potências do grupo negociador para a questão nuclear (Rússia, França, China, Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha) e a UE se reunirão no próximo dia 1º de outubro com representantes iranianos para discutir a proposta nuclear de Teerã.

Poucas horas depois do anúncio do encontro, os ministros dos 27 membros da UE se reuniram em um jantar de trabalho para debater uma política comum em relação ao novo Governo do Irã.

Sobre a resposta desse país sobre seu programa nuclear, enviada há uma semana às potências envolvidas na questão, Bildt falou com ironia. "Não é o documento mais completo que já vi em minha vida, mas que poderia ser esperado", disse.

Por isso, embora tenha dito que o encontro de 1º de outubro "é em si um passo positivo", foi cauteloso sobre seu real alcance.

"Por enquanto estamos com os olhos na reunião e esperemos que, ali, nos deem mais detalhes", insistiu Bildt.

A reunião, ainda sem sede definida, foi delineada hoje durante uma conversa por telefone entre o chefe negociador iraniano para temas nucleares, Saeed Jalili, e o principal representante da UE para política externa, Javier Solana.

O Irã assegura que segue disposto a entabular um diálogo construtivo com a comunidade internacional, que recebeu com certo ceticismo sua última proposta sobre o programa nuclear.

Na reunião está prevista a presença de representantes das seis partes envolvidas nas discussões nucleares com o Irã, provavelmente dirigentes políticos, mas isso não foi ainda definido.

Já a agência de notícias iraniana "Isna", que também não detalha onde acontecerá a reunião, informa que o diálogo se centrará no novo pacote de propostas apresentado na quarta-feira passada pelo chefe da diplomacia iraniana, Manouchehr Motakki, aos embaixadores dos países negociadores em Teerã.

O Irã insiste que a proposta oferece soluções para problemas como a crise econômica, a segurança no mundo e a não-proliferação, mas deixa de lado a polêmica sobre o programa nuclear.

Os EUA, que romperam seus laços diplomáticos com o Irã em abril de 1980, responderam que estão dispostos a empreender uma negociação direta com Teerã.

No domingo, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, voltou a reafirmar que seu país jamais vai renunciar ao que considera seus "direitos nucleares legítimos".

"Estamos dispostos a falar de cooperação internacional e das vias para resolver os atuais problemas econômicos e de segurança no mundo porque achamos que esses temas não podem ser solucionados sem uma participação coletiva", afirmou.

"Mas nunca negociaremos nossos direitos inalienáveis a ter acesso à tecnologia nuclear pacífica, que é um direito definitivo que nos compete", advertiu.

EUA, Israel e algumas potências da União Europeia acusam o Irã de ocultar, sob seu programa nuclear civil, um projeto clandestino de natureza militar cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas.

Teerã nega as acusações e reitera que sua única meta é a aplicação da energia em projetos civis. EFE met/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG