Com base em resultado,Lula acha difícil ter havido fraude no Irã

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que considera improvável que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, não tenha vencido a eleição presidencial, mas condenou a repressão aos protestos da oposição que já deixaram mais dez mortos. Existem coisas quase inexplicáveis no Irã. Você tem uma eleição em que o cidadão tem 62 por cento dos votos, ou seja, é muito difícil que alguém com 62 por cento dos votos ... Aqui no Brasil a gente está acostumado com fraude eleitoral quando a diferença é 1 por cento ou 0,5 por cento, disse Lula ao ser perguntado por jornalistas sobre a repressão aos protestos no país após a eleição presidencial de 12 de junho.

Reuters |

"Mas quando a diferença é de 62 por cento a 30 e poucos (por cento), não é possível. É difícil ter (fraude)", acrescentou.

Ahmadinejad obteve quase 63 por cento dos votos, enquanto o candidato da oposição Mirhossein Mousavi, o concorrente mais próximo, teve 34 por cento, segundo a apuração divulgada pelo governo.

Ao menos dez pessoas morreram no sábado, dia mais violento das manifestações, além de outras sete pessoas mortas no início da semana passada. Centenas de manifestantes foram presos pela polícia, que usou gás lacrimogêneo e cassetetes para conter as manifestações, iniciadas após a divulgação dos resultados eleitorais em 13 de junho.

"Há uma oposição que não se conforma. O resultado desse conflito são inocentes morrendo, o que é lamentável e inaceitável... o povo não pode continuar a ser vitimado pela irresponsabilidade dos agentes políticos do Irã", afirmou Lula no Rio de Janeiro.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG