Com ausência de Sérvia, líderes balcânicos adotam declaração pró-europeia

Brdo pri Kranju (Eslovênia), 20 mar (EFE).- Em uma conferência regional, boicotada na última hora pela Sérvia, os líderes de sete países balcânicos adotaram hoje uma declaração conjunta na qual reiteram a inclinação europeia da região, a cooperação mútua e o desejo de se reunirem periodicamente.

EFE |

A declaração de Brdo pri Kranju deverá servir como plataforma comum desses países na conferência ministerial entre a União Europeia (UE) e os Bálcãs, planejada para junho, em Sarajevo.

Segundo a declaração, os países reunidos hoje esperam que a reunião de Sarajevo "dê um novo impulso à perspectiva europeia da região balcânica", conforme a chamada "agenda de Thessaloniki".

Na cúpula europeia de Thessaloniki, realizada em 2003, a UE se comprometeu em levar adiante a integração comunitária das repúblicas balcânicas, aproximando os países do continente.

Os organizadores da conferência de hoje, os primeiros-ministros da Eslovênia e da Croácia, Borut Pahor e Jadranka Kosor, respectivamente, destacaram que se iniciou o "processo de Brdo", para a cooperação balcânica através de reuniões periódicas.

Ambos elogiaram a decisão do presidente rotativo da Bósnia-Herzegovina, o servo-bósnio Nikola Spiric, de participar da reunião de hoje, "embora estivesse sob pressão (sérvia) de não comparecer".

"Nossa região se encontra em um momento decisivo. Os países devem decidir se tomarão o caminho do futuro ou o caminho dos problemas passados", comentou Pahor em entrevista coletiva.

Com isso, ele se referiu indiretamente à decisão do presidente da Sérvia, Boris Tadic, de boicotar a reunião em protesto contra a presença do primeiro-ministro de Kosovo, Hashem Thaçi.

Para Tadic, Kosovo não poderia participar da reunião de forma nenhuma pois não representa um país soberano. EFE vb/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG