Bento 16 afirmou que o México e o continente vivem "momentos de dor e de esperança" e criticou o poder dos exércitos

O papa Bento 16 atraiu a maior multidão da sua viagem pela América Latina neste domingo, celebrando uma grande missa ao ar livre no México, onde um bispo local denunciou o "medo, abandono e dor" causados pelas assassinas guerras às drogas.

Em seu último dia no país, o papa fez uma missa para uma animada multidão, que os organizadores estimam em 300 mil pessoas em um parque nos arredores do centro da cidade de Leon.

Leia também: Igreja cubana diz que crítica do papa ao marxismo não afeta visita

Longas filas de pessoas, muitas rezando, cantando e levando consigo fotos do líder de 1,2 bilhão de católicos em todo o mundo e de Nossa Senhora de Guadalupe, a padroeira do México, fizeram seu caminho para o local da missa por um período que durou horas.
Algumas pessoas ficaram acampadas há mais de um dia para conseguir um bom lugar para o mais importante evento dos três dias de visita de Bento 16 são segundo mais populoso país católico do mundo.

O papa passou pelas pessoas em um "papamóvel" e usava um sombreiro preto e branco, para o delírio da multidão.

Papa Bento 16 atraiu multidão para missa no México neste domingo
AP
Papa Bento 16 atraiu multidão para missa no México neste domingo


O arcebispo de Leon, José Martin Rabago, falou sobre os sofrimentos de um país em que os confrontos entre cartéis de drogas e o Estado mataram mais de 50 mil pessoas nos últimos cinco anos.

"Nós estamos vivendo entre eventos de violência e morte que geraram uma dolorosa sensação de medo, abandono e tristeza", disse Rabago em seu discurso de boas vindas.

O arcebispo condenou as "perversas raízes" dos problemas mexicanos, como a pobreza, falta de oportunidades, impunidade, injustiça e a crença de algumas pessoas de que o objetivo da vida é acumular bens e poder.

Em seu pronunciamento, o papa Bento 16 disse que as "estratégias humanas" e o "poder dos exércitos" não são suficientes para derrotar o mal.

Após afirmar que o México e o continente vivem "momentos de dor e de esperança", Bento criticou o poder dos exércitos que submetem os demais pela força ou pela violência.

Bento XVI comparou a situação que vive a América Latina com as vicissitudes do povo hebreu relatada no Antigo Testamento.

"A história de Israel narra também grandes proezas e batalhas, mas na hora de afrontar sua existência mais autêntica, seu destino mais decisivo que é a salvação, mais que em suas próprias forças, põe sua esperança em Deus, que pode recriar um coração novo, não insensível e não vaidoso" disse.

Cuba

O Papa viajará na terça-feira a Havana, onde se reunirá com o presidente Raúl Castro e eventualmente com Fidel. Na quarta-feira oficiará uma missa na emblemática Praça da Revolução, antes de retornar a Roma.

A visita vai coincidir com a estada do presidente da Venezuela em Havana, para tratamento de radioterapia.

*Com Reuters, AFP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.