Colorado recorda os dez anos do massacre de Columbine

DENVER - A cidade americana de Denver, Estado do Colorado, recordará nesta segunda-feira o 10º aniversário do massacre na escola secundária de Columbine, protagonizado por dois adolescentes que mataram 13 pessoas antes de cometerem suicídio.

AFP |

As bandeiras serão hasteadas a meio-pau nesta segunda-feira em todo o Estado do Colorado e familiares das vítimas e líderes comunitários se reunirão para recordar a tragédia de 20 de abril de 1999, quando os adolescentes Eric Harris e Dylan Klebold, fortemente armados, deixaram um rastro de sangue em seu colégio do ensino médio.

O governo de Colorado, Bill Ritter, disse que o massacre "continuará vivo em nossas memórias".

Na noite deste domingo será realizada uma vigília à luz de velas no Littleton's Columbine Memorial, um parque perto do colégio que foi erguido em memória das vítimas, 12 alunos e um professor. Outras 23 pessoas ficaram feridas na chacina.

Transmitidas ao vivo para o mundo inteiro, as imagens do massacre, com estudantes fugindo do prédio protegidos pela polícia, causaram um impacto profundo.

"A morte de tantos estudantes e de seu professor foi uma enorme perda da inocência nos Estados Unidos. As crianças e os pais perderam a sensação de segurança que havia em seus bairros", acrescentou Ritter.

"Não podemos permitir que as lições tiradas desta tragédia desapareçam com o tempo. Nosso pensamento está com as famílias dos que morreram nesse dia e rezamos sempre por eles".

Apesar do impacto causado pelo massacre e das denúncias feitas por documentários como o de de Michael Moore, que fez um protesto contra a liberdade da venda de armas em "Tiros em Columbine" (Oscar de documentário de 2003), ainda não existem sinais de uma mudança radical na legislação sobre as armas de fogo nos Estados Unidos.

Dez anos depois - e muitos outros massacres em estabelecimentos de ensino, como os 32 mortos de um ataque na Universidade Virginia Tech em 2007 -, possuir uma arma nos Estados Unidos continua sendo um direito garantido pela segunda emenda da Constituição, defendido por vários legisladores e grupos de interesse, como a poderosa National Rifle Association.

Na segunda-feira, a escola secundária de Columbine permanecerá fechada, enquanto as famílias das vítimas se reunirão no anfiteatro do parque durante uma hora para recordar e para meditar.

Leia mais sobre: massacre de Columbine

    Leia tudo sobre: columbine

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG