Colonos judeus queimam terras palestinas na Cisjordânia

Ramala (Cisjordânia), 3 jun (EFE).- Colonos e extremistas israelenses queimaram hoje vários hectares de terras palestinas a oeste da cidade de Nablus, na Cisjordânia, como reação à evacuação e desmantelamento de duas construções em um reduto judaico.

EFE |

Pelo menos cinco hectares de terras foram queimadas por extremistas entre ontem e hoje na aldeia de Usin, a oeste de Nablus, como informa a agência de notícias oficial da Autoridade Nacional Palestina (ANP), "Wafa".

Segundo essa fonte, outros 100 hectares de terras palestinas foram queimados ao sul desse distrito do norte da Cisjordânia na última ofensiva violenta de colonos judeus contra a população local palestina.

Todas as facções e grupos políticos palestinos pediram à ANP que apele à Liga Árabe para que tome ações imediatas para cessar esse tipo de agressões, feitas, como notícia a "Wafa", por "indivíduos que vão armados até os dentes e disparam de forma arbitrária" contra palestinos.

Nos últimos dias, Israel desmantelou várias estruturas dos considerados "enclaves ilegais" (para a comunidade internacional todos os assentamentos são) na Cisjordânia, provocando protestos de colonos encapuzados que protagonizaram atos de vandalismo contra a população palestina.

O Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) confirmou hoje sua posição de não negociar com Israel até que seja cessada completamente a atividade nos assentamentos judaicos.

Em Israel, são considerados enclaves ilegais todos aqueles assentamentos, em sua maioria rudimentares, construídos sem a autorização do Governo após março de 2001.

Para os palestinos e a comunidade internacional, todos os assentamentos construídos em território ocupado após a Guerra de 1967 são ilegais, e representam um sério obstáculo para a paz e a criação de um futuro Estado palestino. EFE nm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG