Colonos israelenses reiniciam construções na Cisjordânia

Moratória de dez meses sobre construções em assentamentos declarada por Israel terminou neste domingo

iG São Paulo |

As construções de casas foram retomadas nesta segunda-feira em vários assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada. Ainda que em proporções modestas, os colonos voltaram a construir poucas horas depois do fim da moratória de 10 meses imposta pelo governo.

No assentamento de Ariel, um dos mais polêmicos por estar muito dentro do território palestino, as escavadeiras começaram esta manhã a trabalhar planificando a terra onde serão colocados os alicerces para um novo bairro com 50 casas, informou o serviço de notícias israelense "Ynet".

As novas casas serão destinadas a famílias de colonos que foram retirados em 2005 do assentamento de Netzarim, na faixa de Gaza. "Estamos aqui por direito", declarou Itzik Vazana, antigo morador de Netzarim, que acrescentou que, desde a retirada das colônias de Gaza, seus moradores tem vivido em trailers. "Espero que o primeiro-ministro (Benjamin Netanyahu) continue sendo fiel a sua palavra e facilite nosso retorno a uma vida normal", acrescentou.

AP
Menino israelense observa o trabalho de máquinas no assentamento de Ariel, na Cisjordânia

O fim da moratória autoriza qualquer pessoa ou instituição que dispõe de uma permissão de construção em uma colônia a iniciar as obras. No domingo, vários assentamentos realizaram cerimônias para marcar o fim da moratória e dar as boas-vindas ao reinício das obras.

Negociações sob risco

O governo israelense não fez declarações nas últimas horas, em cumprimento do pedido de Netanyahu de evitar provocações e atuar com "contenção". Além disso, continuam os esforços para evitar que o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, abandone as negociações de paz, tal como anunciou que faria se a construção fosse reiniciada.


Minutos depois do fim do prazo, que expirou na meia-noite deste domingo (horário local), o primeiro-ministro israelense pediu que Abbas continuasse participando das negociações de paz. "Peço ao presidente Abbas que continue com as boas e honestas negociações de paz iniciamos, em uma tentativa de chegar a um acordo de paz histórico entre nossos dois povos", afirmou Netanyahu, na madrugada de segunda-feira de acordo com a agência de notícias AFP.

Antes, durante uma visita a Paris, o presidente da Autoridade Palestina afirmou que as negociações de paz seriam "inúteis", a não ser que o congelamento fosse estendido. "Existe apenas uma escolha: os assentamentos ou a paz. Israel tem que escolher a paz, se Israel escolher a paz, vamos continuar nas negociações, mas se ele não escolher (a paz), então isto será uma perda de tempo, ou oportunidades perdidas", afirmou.

No entanto, em uma entrevista a um jornal árabe, Abbas afirmou que vai consultar os parceiros árabes na negociação de paz antes de tomar qualquer decisão sobre abandonar ou não as negociações. O governo israelense, por sua vez, afirma que os assentamentos não constituem um obstáculo às negociações.

* Com AFP, EFE e BBC

    Leia tudo sobre: israelassentamentospalestinoscisjordânia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG