Colonos israelenses anunciam mais 30 assentamentos na Cisjordânia

JERUSALÉM - A organização judaica Fiéis da Terra de Israel anunciou hoje que construirá 30 novos miniassentamentos na Cisjordânia ocupada, apesar da oposição do governo israelense ao estabelecimento de novas colônias.

EFE |

O anúncio do grupo foi feito em protesto à decisão do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, de não construir mais assentamentos judaicos em território ocupado, disse o site de notícias "Arutz Sheva", afim aos colonizadores.

Há algumas semanas, as autoridades israelenses começaram a destruir pequenas colônias judaicas construídas após março de 2001.

A medida do governo, baseada numa lei que considera ilegais os assentamentos erguidos depois dessa data, foi o que provocou a ira dos Fiéis da Terra de Israel.

Para a legislação internacional, qualquer assentamento em território palestino é ilegal, por menor que seja e independentemente de quando tenha sido criado.

Ontem à noite, o Exército israelense retirou uma barraca e duas cabanas de dois assentamentos, um deles próximo à Cisjordânia, informou nesta quarta-feira o site do jornal "Yedioth Ahronoth".

Os Fiéis da Terra de Israel anunciaram que continuarão trabalhando para fortalecer oito colônias criadas nos últimos dois anos. Caso as construções sejam demolidas pelas autoridades, o grupo disse que reconstruirá tudo quantas vezes forem necessárias.

Os 30 novos assentamentos vão reforçar os já existentes, disseram fontes da organização. "Com a ajuda de Deus", o plano mudará "o atual" cenário de "destruição e demolição" por outro de "construção e crescimento".

Leia mais sobre assentamentos na Cisjordânia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG