Colombianos saem às ruas para pedir libertação de seqüestrados

O colombianos, convocados por 15 ex-reféns da guerrilha das Farc resgatados no dia 2 de julho, realizam neste domingo marchas e shows de música em seu país e no exterior para exigir a libertação de mais de 2.800 seqüestrados no mesmo dia da celebração nacional da independência da Colômbia.

AFP |

A jornada, promovida com o lema "Liberdade já", terá como ponto central Leticia, uma cidade em plena selva amazônica onde se reunirão os presidentes da Colômbia, Alvaro Uribe; do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva; e do Peru, Alan García.

Os mandatários assistirão ao tradicional desfile militar em ocasião do Dia da Independência e a um show da estrela pop colombiana Shakira, que atendeu à convocação.

Na parada também estarão presentes os onze militares e policiais resgatados pelo Exército. Nessa operação foram libertados também a franco-colombiana Ingrid Betancourt e três norte-americanos.

As manifestações serão realizadas em mais de mil localidades colombianas e em mais de 80 cidades do mundo, incluindo um evento na Praça Trocadero de Paris, onde estará Betancourt.

Na capital francesa, se apresentarão os cantores colombiano Juanes e espanhol Miguel Bosé.

Na madrugada deste domingo, Ingrid Betancourt, acompanhada de Juanes e Miguel Bosé, enviou mensagens de esperança aos reféns em poder da guerrilha das Farc, em uma transmissão de rádio.

"O mundo está unido, estamos de mãos dadas, estamos pensando em vocês e estamos fazendo uma corrente por vocês. Tenham fé, cada dia mais tranqüilidade, saibam que em breve terão o direito de aproveitar a liberdade", afirmou Betancourt resgatada junto com outros 14 reféns no dia 2 de julho.

Juanes pediu que a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) entenda que "é hora de dialogar para pôr fim a esta guerra injusta".

Alguns atos já foram realizados sábado em Londres e Lima, onde grupos de colombianos se reuniram para pedir a liberdade dos reféns. No Peru, o presidente Alan García participou de uma manifestação.

"Há muitas pessoas privadas de liberdade e peço aos colombianos que saiam às ruas para pedir sua libertação", disse o cabo da Polícia Armando Castellanos, um dos resgatados.

As Farc mantêm em seu poder pelo menos três políticos e 22 integrantes das forças de segurança, e pretendem trocá-los por prisioneiros.

É a terceira manifestação desse tipo realizada este ano na Colômbia, onde mais de 2.800 pessoas são mantidas reféns por diferentes grupos criminosos.

axm/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG