Colombianos protestam em massa pela libertação de reféns

Bogotá, 28 nov (EFE).- Os colombianos iniciaram hoje passeatas de protesto contra o seqüestro em mais de 150 centros urbanos do país, incluindo muitas das 32 capitais regionais, em resposta à chamada feita pela ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Ingrid Betancourt.

EFE |

"A atividade avança, felizmente, sem tropeços", confirmou à Agência Efe o responsável da organização dos protestos em Bogotá, Carlos Andrés Cruz, ativista da Rede de Iniciativas Cidadãs pela Paz e Contra a Guerra (Redepaz).

Segundo Cruz, centenas de milhares de cidadãos em mais de 150 cidades e municípios tomaram as ruas em defesa dos seqüestrados, entre eles 28 que as Farc pretendem trocar por 500 rebeldes presos, três deles extraditados aos EUA.

Essa jornada de protesto é a quarta feita na Colômbia em 2008, depois das realizadas em 4 de fevereiro, 6 de março e 20 de julho.

Nesta ocasião, o lema da passeata é "Unidos pela vida e a liberdade".

A ex-candidata à Vice-Presidência da Colômbia Clara Rojas e o ex-congressista Luis Eladio Pérez, ambos libertados em 2008 após anos nas mãos das Farc, se uniram aos atos de protesto em Bogotá.

A iniciativa foi promovida da Europa por Betancourt, resgatada em julho passado junto a três americanos e 11 soldados da Polícia.

O vice-presidente colombiano, Francisco Santos, se mostrou "pouco otimista" que as Farc se comovam frente às manifestações de hoje.

Porém, em uma visita à sede da Efe em Bogotá, Santos disse que a mensagem enviada com as mobilizações "é muito importante para mostrar que esta é uma sociedade que está unida contra a violência".

EFE jgh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG