BOGOTÁ (Reuters) - Os três colombianos presos numa investigação do Equador sobre um suposto plano para matar o presidente Rafael Correa são criminosos ligados à guerrilha Farc e ao narcotráfico, disse na sexta-feira o diretor da Polícia Nacional da Colômbia, Oscar Naranjo. O Equador prendeu na quinta-feira os três colombianos e um cidadão local, suspeitos de planejar um atentado contra o Correa. O próprio presidente, porém, minimizou o caso, dizendo que se tratava de um caso de estelionato.

Em meio à crise diplomática entre ambos os países, provocada por uma ação militar em março contra um acampamento das Farc em território equatoriano, Naranjo elogiou a polícia do país vizinho pela ação desta semana.

'Estamos certos de que se tratam de criminosos dedicados ao narcoterrorismo', afirmou.

Naranjo disse que os três suspeitos prestam 'de alguma maneira seu concurso nas atividades terroristas da Frente 48 [das Farc], dirigidas por Edgar Tovar no sul do país.'

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.