Bogotá, 12 jul (EFE).- O Governo colombiano analisa informação confiável que indica que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) concretizaram um negócio para adquirir mísseis russos através de contatos localizados na Venezuela, informa hoje o jornal El Tiempo, citando altas fontes do Executivo.

O diário afirma que teve acesso às mais recentes informações de um grupo especial de inteligência que, desde 2000, tem a missão de seguir os movimentos das Farc para se reforçar.

Segundo o "Tiempo", em dezembro do ano passado, esse grupo estabeleceu que três representantes das Farc no exterior começaram a manejar informação dos mísseis IGLA-S24, última geração do armamento terra-ar desenvolvido pela indústria militar russa.

À frente dos contatos estaria Luciano Marín Arango, conhecido como "Ivan Márquez", integrante da cúpula das Farc e que poderia estar escondido na Venezuela, segundo as autoridades colombianas.

Até agora, não foi possível confirmar se os mísseis russos já entraram em território colombiano, afirma o jornal.

Uma fonte do Governo disse ao "Tiempo" que o assunto dos mísseis esteve na agenda do presidente colombiano, Álvaro Uribe, durante sua última visita oficial à Venezuela, em abril.

O Governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, comprometeu-se a fazer investigações a respeito, acrescentou a mesma fonte. EFE mb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.