Colômbia resgata oficiais há 12 anos em poder das Farc

General e major são resgatados em ação nas selvas do estado de Guaviare, sul do país

EFE |

Bogotá - As autoridades colombianas resgataram neste domingo o general da Polícia Luis Mendieta, refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) há 12 anos, e o major Enrique Murillo, como anunciou o presidente Álvaro Uribe.

"Acabamos de resgatar o general Mendieta, que estava sequestrado pelos terroristas das Farc e está são e salvo em poder das Forças Armadas", disse Uribe em Quibdó, capital do estado de Chocó. O presidente informou ainda da libertação de Murillo e que a operação de resgate aconteceu nas selvas do estado de Guaviare (sul). Foi nesta região que em julho de 2008, em outra operação militar, foram libertados 15 reféns, entre eles Ingrid Betancourt e três americanos.

Mendieta, que completa hoje 53 anos, é o policial de cargo mais alto sequestrado pelas Farc e um dos mais antigos em poder da guerrilha. As Farc capturaram o general há 12 anos durante uma incursão à cidade de Mitú, no departamento do Vaupés, fronteiriço com o Brasil. A ação deixou 43 mortos, entre militares, policiais e civis. Pelo menos mil guerrilheiros participaram do ataque, o primeiro e único da guerrilha contra uma capital departamental e um dos mais devastadores em quase meio século de história do conflito interno colombiano.

Mendieta e Murillo faziam parte até hoje de um grupo de 22 policiais e militares que as Farc pretendem trocar por guerrilheiros presos. Uribe informou que está prevista a transferência dos policiais resgatados para San José del Guaviare, capital de Guaviare. Ele não disse quando, mas de lá os dois irão para Bogotá.

A libertação dos policiais acontece a uma semana do segundo turno das eleições presidenciais na Colômbia. O candidato de Uribe, Juan Manuel Santos, ex-ministro da Defesa, parte como favorito.

    Leia tudo sobre: ColômbiaFARCÁlvaro Uribe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG