Bogotá, 2 ago (EFE).- Um total de cinco trabalhadores colombianos de uma empresa petrolífera, seqüestrados na quinta-feira passada pelo Exército de Libertação Nacional (ELN) no departamento (estado) de Santander, no nordeste do país, foram resgatados hoje em uma operação do Exército, informou um alto chefe militar.

O general Paulino Coronado, comandante da 30ª Brigada do Exército, confirmou a libertação dos cinco trabalhadores petroleiros, entre eles um engenheiro e dois topógrafos.

A libertação dos trabalhadores da empresa G2seismic Ltd., dedicada à prospecção de poços petroleiros, aconteceu em uma zona rural conhecida como Campo 2, na jurisdição municipal de Tibú, em Santander, a cerca de 700 quilômetros de Bogotá.

Os resgatados tinham sido seqüestrados pelo chamado "Grupo Héctor" do ELN na quinta-feira à noite quando estavam em uma reunião de trabalho nos escritórios da empresa no próprio de Campo 2.

Segundo o general Coronado, na operação chamada Xeque, o comando especial contou com ajuda da aviação do Exército e desembarques de apoio aerotático.

Coronado destacou que "embora as tropas tivessem os terroristas na mira" não ocorreram tiros durante a ação.

Os resgatados foram identificados como Julio Castellanos, engenheiro chefe do grupo, Juan Alberto Gutiérrez e Javier Pineda, os dois topógrafos, assim como os cozinheiros Nelson Calderón e Yesid Cuéllar. Não foram divulgadas detenções.

Sexta-feira, por outro lado, o Exército recuperou, em Santander, o negociante venezuelano Edgar Torres Mendoza, seqüestrado em 27 de julho, também por rebeldes do ELN.

Os soldados enfrentaram os "integrantes da companhia Capitão Francisco Bossio do ELN", e, durante um choque armado, um deles ficou ferido e foi capturado. EFE rrm/bm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.