Colômbia rejeita mediação da Espanha para recompor relação com Venezuela

A Colômbia rejeitou nesta quarta-feira a oferta do chefe de governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, para mediar a crise diplomática entre Bogotá e Caracas envolvendo o uso de bases colombianas por tropas americanas.

AFP |

"Agradecemos o interesse e a disposição da Espanha, mas consideramos que neste momento não deve haver mediação porque a Colômbia ainda não fechou seus canais de comunicação com a Venezuela", disse o chanceler colombiano, Jaime Bermúdez.

Segundo Bermúdez, Bogotá mantém "a vontade de dialogar com a Venezuela e jamais falou em romper relações".

Em tom menos diplomático, o novo ministro colombiano da Defesa, Gabriel Silva, respondeu à proposta com a frase: "Zapatero a teus sapatos", indicando que o governo espanhol não deve se meter na questão com a Venezuela.

Posteriormente, Silva pediu desculpas e se justificou: "Venho do campo, da zona rural, e as vezes não sei usar a linguagem diplomática...".

Na sexta-feira passada, Zapatero ofereceu a Chávez a colaboração da Espanha para promover o diálogo entre Colômbia e Venezuela", durante a breve visita do presidente venezuelano a Madri.

As relações entre Bogotá e Caracas atravessam um momento tenso após a decisão da Colômbia de permitir o uso de sete bases militares colombianas por militares americanos.

Em agosto passado, Chávez qualificou de "declaração de guerra" o acordo entre Colômbia e Estados Unidos para a utilização das bases no território colombiano.

"Estas sete bases 'ianques' são uma declaração de guerra contra a revolução bolivariana e assim o assumimos. Vamos nos preparar porque essa burguesia colombiana nos odeia e já não há possibilidade de retorno".

No início da semana, Chávez justificou as recentes compras de armas russas realizadas pela Venezuela pela presença de tropas americanas nas bases militares da Colômbia.

A Venezuela anunciou no domingo a compra de 2 bilhões de dólares em armamento russo, incluindo 92 tanques T72 e um número não determinado de mísseis antiaéreos.

sab/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG