Colômbia rejeita acusação de ter destruído relações com Venezuela

Bogotá, 9 abr (EFE).- O Governo colombiano rejeitou ter destruído as relações com a Venezuela, como disse hoje o Executivo venezuelano depois do aumento da tensão bilateral causado pela detenção de colombianos acusados de espionagem na Venezuela.

EFE |

"O embargo comercial por razões políticas foi imposto pela Venezuela" em agosto passado, afirmou hoje o chanceler colombiano, Jaime Bermúdez, em resposta a um comunicado oficial venezuelano.

Segundo Bermúdez, a Venezuela fez "alusões que parecem pré-julgamentos políticos", mas reiterou seu "afeto pelo povo da Venezuela" e disse que, apesar da nova crise, a Colômbia permanece aberta "a uma interlocução direta sob as bases do respeito".

O comunicado oficial venezuelano chama de "manobra de distração" e "posição inaceitável" as manifestações de preocupação do Governo colombiano, que recorreu à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, em relação ao tratamento que os supostos espiões do país podem estar recebendo.

"Mais uma vez, o Governo atual da Colômbia pretende ser apresentar como vítima, em um caso que envolve um grupo de pessoas capturadas em flagrante com provas de espionagem que atentam contra nossa pátria", afirma o texto oficial publicado hoje em Caracas.

O Governo venezuelano também acusa a Colômbia de tentar "minar de forma duradoura o possível caminho para o restabelecimento de relações normais".

Embora os supostos espiões colombianos estejam detidos desde março, o assunto ganhou força nesta quarta-feira depois que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse que dois dos oito capturados tinham documentos do Exército colombiano.

Uribe rebateu dizendo que estas pessoas fizeram parte da área de saúde das Forças Armadas colombianas. EFE agp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG