espiões pela Venezuela - Mundo - iG" /

Colômbia reage à detenção de espiões pela Venezuela

Por Luis Jaime Acosta BOGOTÁ (Reuters) - O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, acusou nesta quarta-feira a Venezuela de violar os direitos humanos de oito colombianos detidos no país vizinho acusados de espionagem do setor elétrico.

Reuters |

A Venezuela diz que oito detidos tinham fotos de subestações de energia, sistemas de transmissão e estradas, e que alguns deles carregavam identidades do Exército colombiano. Uma autoridade da Colômbia afirmou que sete prisões foram realizadas.

As detenções ocorrem após meses de tensão entre Uribe, maior aliado dos Estados Unidos na América do Sul, e o presidente venezuelano, Hugo Chávez, que enfrenta a pior crise energética dos últimos anos no país, o que pode dar impulso à oposição nas eleições legislativas em setembro.

Uribe disse que as prisões são injustificadas.

"Isto se chama violação de direitos humanos. E o governo da Colômbia não pode permitir a violação dos direitos humanos contra seus cidadãos, vivam eles na Colômbia ou fora", disse Uribe a jornalistas.

No mês passado, Chávez acusou "contrarrevolucionários" opositores de seu governo socialista de interromper cabos de energia para agravar a crise energética do país, que forçou sua administração a racionar energia na maior parte do país.

As detenções, que segundo autoridades venezuelanas foram realizadas por forças de segurança em dois Estados nas últimas duas semanas, podem piorar as relações entre Caracas e Bogotá na véspera de eleições presidenciais na Colômbia, em maio.

Os suspeitos estão sendo processados pelo sistema militar judiciário da Venezuela.

Nesta quarta-feira, a imprensa venezuelana disse que cinco dos suspeitos, incluindo Luis Carlos Cossio, de 52 anos, pertence a uma família colombiana que vive na pequena cidade venezuelana de Bairinitas há 17 anos e possui uma fábrica de sorvetes.

Durante uma reunião de governo transmitida pela TV na terça-feira à noite, Chávez disse que a fábrica era uma "fachada", mas afirmou não estar acusando o governo colombiano ou o Exército de envolvimento no caso.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG