Colômbia quer que consumidores de cocaína paguem por destruição das florestas

A Colômbia, maior produtor de cocaína do mundo, pedirá em Copenhague aos países industrializados compensações econômicas com o argumento de que cada grama de pó consumida destrói quatro metros quadrados de suas florestas, um das mais ricas do planeta.

AFP |

O presidente Alvaro Uribe viaja nesta terça-feira à capital dinamarquesa para participar da cúpula do clima da ONU, e tem a intenção de dizer aos representantes dos países ricos que há uma "responsabilidade compartilhada" na destruição da floresta colombiana por traficantes.

"A posição colombiana é clara: as políticas de prevenção e consumo nesses países fracassam e a produção ilegal de cocaína cresce aqui, com danos irreparáveis a nosso meio ambiente. Portanto, há uma cota de responsabilidade e eles devem pagar", disse à AFP uma fonte da vice-presidência colombiana.

Uribe denunciou que, "para cada hectare de coca plantada, três hectares de floresta são derrubados", segundo a mesma fonte.

A Colômbia é um dos dez países com maior diversidade natural do planeta.

sab/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG