Bogotá, 23 ago (EFE).- O Governo da Colômbia quer que a cúpula extraordinária da União de Nações Sul-americanas (Unasul) prevista para a próxima sexta-feira em Bariloche (Argentina) também sirva para discutir outros acordos internacionais assinados na região, disse o chanceler do país andino, Jaime Bermúdez.

O ministro das Relações Exteriores colombiano advertiu novamente que nem ele, nem o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, estarão na reunião do próximo dia 28 "para fazer consultas" sobre o acordo militar entre Bogotá e Washington.

"O acordo está fechado", lembrou Bermúdez em entrevista publicada pela edição da revista "Semana" que entrou em circulação hoje.

"Mas queremos uma discussão sobre temas comuns, como os acordos de cooperação de alguns países com nações que não pertencem à região, o armamentismo de certos vizinhos e o terrorismo", enfatizou o ministro colombiano, sem dar detalhes.

Bermúdez insistiu em que o acordo da Colômbia com os Estados Unidos, cujos militares poderão usar pelo menos sete bases do país andino, não isolou seu país na América do Sul. EFE jgh/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.