Equador de que reconheceria as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) como uma força beligerante se o grupo deixar os sequestros e ataques terroristas, posição rejeitada pelo presidente colombiano, Alvaro Uribe. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/04/24/entenda_quem_sao_as_farc_1286010.htmlSaiba quem são as Farc" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Colômbia protesta com Equador por posição sobre Farc

BOGOTÁ - A Colômbia anunciou, na quinta-feira que protestará junto a Quito pelas declarações do presidente do http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/04/23/equador_pode_reconhecer_as_farc_se_guerrilha_desistir_de_sequestros_1284290.htmlEquador de que reconheceria as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) como uma força beligerante se o grupo deixar os sequestros e ataques terroristas, posição rejeitada pelo presidente colombiano, Alvaro Uribe. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/04/24/entenda_quem_sao_as_farc_1286010.htmlSaiba quem são as Farc

Reuters |

Trata-se do mais recente incidente diplomático entre os governos dos dois países com sérias diferenças sobre o conflito interno colombiano.

As relações diplomáticas entre Bogotá e Quito estão estremecidas desde que as forças militares colombianas atacaram um acampamento das Farc em solo equatoriano, em março, matando o líder rebelde Raúl Reyes.

'Naturalmente vamos protestar do ponto de vista diplomático pelas declarações feitas pelo presidente Correa, que violam os acordos que temos conseguido', disse o chanceler colombiano, Fernando Araújo, em resposta a recentes comentários do presidente Rafael Correa sobre as Farc.

'Consideramos que um país democrático não pode cair na tentação de dar nenhum tipo de status a grupos que executam atos de terrorismo permanentemente. Eu mesmo estive sequestrado seis anos pelas Farc e garanto à comunidade internacional da qualidade de terrorista do grupo', afirmou Araújo.

Correa, que até agora se recusa a qualificar as Farc de política ou de terrorista, esclareceu que primeiro o grupo rebelde teria que libertar incondicionalmente seus reféns, entre eles a franco-colombiana Ingrid Betancourt, três norte-americanos, políticos, militares e policiais.

'Se as Farc abandonarem essas práticas e cumprirem as condições para serem tratadas como força beligerante, ou seja, que controlem um território, que tenham uma força armada organizada, que respeitem os códigos de guerra..., é claro que teríamos de reconhecê-las como força beligerante', disse Correa na quarta-feira.

Para o presidente colombiano, as Farc não cumprem com as condições para outorgá-la o status de beligerância pois só se pode reconhecer um grupo que tenha controle territorial e um comando unificado que exerça justiça e cumpra o direito internacional humanitário.

'Que os meus compatriotas majoritariamente, quem sabe até unanimemente, assinem documentos para defender nossa democracia e evitar estes atentados que são contra a democracia e acontecem quando se propõe o status de beligerância a favor de um grupo terrorista', afirmou Uribe à rádio local RCN.

Uribe refez a promessa que o levou ao poder em 2002: derrotar militarmente o grupo rebelde, em um esquema democrático apoiado pelos Estados Unidos.

'As Farc podem escolher entre dois caminhos: ou se retificam e fazem paz, o que se faz em cinco minutos, ou o povo colombiano, apoiando o governo e as forças públicas, continuará com a tarefa de derrotá-los', disse o presidente colombiano.

Leia mais sobre: Farc - Equador - Colômbia

Leia tudo sobre: colômbiaequadorfarc

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG