Colômbia pode ter recebido ajuda dos EUA em ataque, diz Equador

QUITO, Equador (Reuters) - O Equador afirmou na quinta-feira que a Colômbia pode ter recebido ajuda aérea e técnica dos Estados Unidos durante o bombardeio de março contra uma base de guerrilheiros instalada em território equatoriano. Após a denúncia, o Equador exigiu uma investigação urgente a respeito do caso.

Reuters |

A acusação aumenta as tensões entre os governos equatoriano e colombiano depois da incursão ilegal de militares da Colômbia dentro do Equador durante uma operação em que morreu o porta-voz da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Raúl Reyes, e outras 24 pessoas.

O governo equatoriano acusou o país vizinho de violar sua soberania e as leis internacionais. Depois do incidente, rompeu suas relações diplomáticas com a Colômbia.

O ministro da Defesa do Equador, Javier Ponce, avisou que o comando colombiano não disporia de capacidade operacional e técnica para manejar as bombas usadas no ataque. Portanto, segundo Ponce, existe uma grande possibilidade de um terceiro país ter participado da operação militar.

'Se a Colômbia não provar o contrário, a suspeita vai continuar existindo', disse o ministro ao ser questionado sobre se os indícios apontavam para a participação de aeronaves norte-americanas no bombardeio.

A incursão militar colombiana provocou um conflito entre os dois países latino-americanos e gerou boatos sobre a possibilidade de uma guerra tomar conta da região.

(Por Carlos Andrade García)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG