Colômbia: Piedad Córdoba diz que primeiros reféns devem ser liberados em 12 dias

A senadora da oposição colombiana Piedad Córdoba estimou nesta segunda-feira que os primeiros reféns de um grupo de seis, negociados pela guerrilha das Farc, devem ser soltos daqui a 12 dias.

AFP |

"Estamos no ponto em que o Brasil coordenará toda a parte logística para a liberação, e eles serão entregues entre 10 e 12 dias", declarou a senadora à imprensa, após uma reunião com o ministro colombiano do Interior e Justiça, Fabio Valencia.

Córdoba, a quem as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram no dia 21 de dezembro que pretendiam entregar os seis reféns, insistiu que a soltura agora só depende "do tempo que o Brasil levar para desenvolver a logística" necessária para a operação.

Na sexta-feira, o governo brasileiro anunciou que forneceria os meios solicitados pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR) para receber, em algum lugar da Colômbia, o grupo prometido de reféns.

Em um gesto unilateral, as Farc se comprometeram a liberar os políticos Alan Jara e Sigifredo López, além de três policiais e um militar, que fazem parte de um grupo de 28 reféns que os rebeldes tentam trocar por 500 companheiros presos.

Córdoba, do opositor Partido Liberal, informou que um "técnico" do Brasil, supostamente da Força Aérea, chegará a Bogotá na próxima quarta-feira para ajustar os últimos detalhes da operação.

A senadora explicou que a missão para recuperar os reféns partirá do Brasil e se dirigirá para o local da Colômbia onde as Farc indicarem.

No domingo, o ministro brasileiro da Defesa, Nelson Jobim, disse à imprensa que a data de libertação dos reféns só será divulgada depois de concluída a operação.

pro/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG