Colômbia pede condenação mundial às Farc por massacre

Bogotá, 18 fev (EFE).- O ministro do Interior e Justiça colombiano, Fabio Cossio, pediu hoje uma condenação mundial à guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pelo assassinato de ao menos oito membros de uma comunidade indígena, ocorrido no início do mês no departamento (estado) de Nariño.

EFE |

"A barbárie cometida contra o povo awá tem que evocar a solidariedade humana e o repúdio da comunidade internacional", disse Cossio, ao presidir uma reunião da Comissão de Direitos Humanos para os Povos Indígenas em Nariño, região fronteiriça com o Equador.

Em comunicado divulgado na última terça, as Farc admitiram terem matado, em 6 de fevereiro, membros da etnia awá, acusados de serem colaboradores do Exército colombiano.

O ministro afirmou que, segundo alguns membros da comunidade, entre as vítimas havia duas mulheres grávidas que acompanhavam seus maridos quando foram sequestrados, torturados e assassinados pelas Farc.

"O cinismo com que as Farc divulgam o comunicado reconhecendo essa infâmia tem que ser rejeitada pelo mundo inteiro. As Farc passam facilmente da barbárie ao cinismo", disse.

O massacre já foi condenado por várias entidades locais e internacionais, entre elas a Human Rights Watch e várias agências da ONU e da Organização dos Estados Americanos (OEA). EFE gta/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG