Bogotá, 18 fev (EFE).- O ministro do Interior e Justiça colombiano, Fabio Cossio, pediu hoje uma condenação mundial à guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pelo assassinato de ao menos oito membros de uma comunidade indígena, ocorrido no início do mês no departamento (estado) de Nariño.

"A barbárie cometida contra o povo awá tem que evocar a solidariedade humana e o repúdio da comunidade internacional", disse Cossio, ao presidir uma reunião da Comissão de Direitos Humanos para os Povos Indígenas em Nariño, região fronteiriça com o Equador.

Em comunicado divulgado na última terça, as Farc admitiram terem matado, em 6 de fevereiro, membros da etnia awá, acusados de serem colaboradores do Exército colombiano.

O ministro afirmou que, segundo alguns membros da comunidade, entre as vítimas havia duas mulheres grávidas que acompanhavam seus maridos quando foram sequestrados, torturados e assassinados pelas Farc.

"O cinismo com que as Farc divulgam o comunicado reconhecendo essa infâmia tem que ser rejeitada pelo mundo inteiro. As Farc passam facilmente da barbárie ao cinismo", disse.

O massacre já foi condenado por várias entidades locais e internacionais, entre elas a Human Rights Watch e várias agências da ONU e da Organização dos Estados Americanos (OEA). EFE gta/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.