Colômbia ordena suspender voos em áreas de libertação de reféns

Bogotá, 2 fev (EFE).- O Governo colombiano ordenou hoje a suspensão de todos os voos da Força Aérea, até com altura superior aos 20 mil pés, nas áreas onde serão libertados os reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Alan Jara e Sigifredo López.

EFE |

A ordem foi emitida depois das denúncias de sobrevoos no domingo na área da entrega de três policiais e um militar sequestrados pelas Farc.

"O Governo Nacional ordenou suspender voos da Força Aérea, até com altura superior aos 20.000 pés, no espaço aéreo da região de libertação de sequestrados", assinalou um comunicado emitido na cidade de Riohacha, está o presidente colombiano, Álvaro Uribe.

Os voos só se realizarão em caso de solicitação expressa do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), "em caso de emergência", acrescentou o Governo.

O jornalista Jorge Enrique Botero, que participou como testemunha na operação de entrega de quatro sequestrados pelas Farc, disse hoje que uma série de sobrevoos de aviões militares "por pouco não frustram" as libertações.

Botero afirmou que tem provas indubitáveis em áudio e vídeo dos sobrevoos "notórios, abundantes e reiterativos" que, segundo comentou, aconteceram durante duas horas enquanto acontecia a entrega.

Uribe reconheceu os voos acima de 20.000 pés, mas destacou que "não houve operações militares ofensivas" e que "o Governo cumpriu o oferecido", em alusão à missão humanitária liderada pela senadora opositora Piedad Córdoba. EFE fer/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG