Bogotá, 7 jul (EFE).- A Polícia da Colômbia ofereceu hoje garantias de segurança para que a franco-colombiana Ingrid Betancourt, resgatada com outros 14 reféns no último dia 2, participe de uma manifestação daqui a duas semanas, na qual se pedirá às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que libertem todos reféns que ainda mantêm em seu poder.

Em resposta aos comentários de Betancourt, que por medo de represálias da guerrilha disse que acompanhará a mobilização de Paris, o diretor da Polícia colombiana, general Rafael Parra, garantiu que todas as medidas de segurança estão sendo tomadas para assegurar a tranqüilidade do protesto.

"Ela pode vir com toda a tranqüilidade. Mas nós entendemos qual é o sentimento que pode impedi-la", disse o oficial.

A ex-candidata à Presidência do país, resgatada pelo Exército depois de passar mais de seis anos em poder das Farc, disse em entrevista publicada nesta segunda-feira que teme um atentado na Colômbia.

"Minha família me pediu para não ir à manifestação de 20 de julho (Dia da Independência da Colômbia)", disse Betancourt ao jornal "El Tiempo", de Bogotá.

A ex-refém declarou que o protesto pacífico do dia 20 já "está muito anunciado", de modo que "qualquer pessoa que queira prejudicá-lo terá tempo suficiente de preparar algo". EFE fer/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.