Colômbia mata traficante de drogas procurado pelos EUA

Por Hugh Bronstein BOGOTÁ (Reuters) - A polícia colombiana matou durante tiroteio na terça-feira um traficante de drogas conhecido como um dos gêmeos que controlavam a maior quadrilha emergente de cocaína do país, formada por ex-combatentes de direita.

Reuters |

'Ele era um dos nossos mais procurados', disse o ministro de Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, ao anunciar a morte de Miguel Angel Mejía Múnera, ao lado de dois comparsas, em uma área rural próxima ao norte da cidade de Medellín.

Um informante levou a polícia até a fazenda onde Mejía Múnera, vestido com roupas camufladas norte-americanas, foi encontrado com seus seguranças. Três homens que faziam a proteção do traficante foram presos.

Mejía Múnerai, conhecido como 'El Mellizo', participou de uma negociação de paz entre o governo do presidente Álvaro Uribe e os paramilitares de ultradireita que permitiu que mais de 31.000 combatentes entregassem suas armas.

Entretanto, quando o governo ordenou a prisão dos antigos chefes desses grupos armados ilegais acusados de massacrar milhares de civis durante sua luta armada, ele não se apresentou e fugiu.

As Forças Armadas o acusavam de organizar exércitos particulares para proteger sua quadrilha de traficantes em uma grande área ao norte do país, que incluía os Departamentos de Antioquia, Córdoba, César e Magdalena.

O ministro de Defesa informou que o governo pagará uma recompensa milionária a pessoas que revelaram o paradeiro do traficante.

O irmão de Miguel Angel, Víctor Manuel, também pertence a uma facção criminosa conhecida como Los Nevados, acusada de exportar grandes quantidades de cocaína para os Estados Unidos através do México.

Em 2001, a polícia invadiu um apartamento dos Mejía e encontrou 35 milhões de dólares escondido entre as paredes.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG