Bogotá, 25 nov (EFE).- A Marinha da Colômbia deteve quatro cidadãos desse país em águas do oceano Pacífico com um carregamento de 678 quilos de drogas, dos quais 328 eram de cocaína, que tinham a marca em alto relevo da empresa captadora de dinheiro DMG, informaram hoje fontes oficiais.

A embarcação foi abordada na segunda-feira em uma operação conjunta com um avião do Comando Sul dos Estados Unidos, destacou a base da Marinha na Bahía Málaga.

A mesma força precisou que a operação foi realizada a cerca de 54 quilômetros ao sudoeste de Cabo Corrientes, próximo à costa de Chocó, departamento no litoral do Pacífico.

A embarcação foi avistada pela aeronave americana, que emitiu um aviso e guiou a guarda-costeira colombiana até a área onde estavam os narcotraficantes.

Além da cocaína, a embarcação levava 234 quilos de maconha e 116 quilos de pasta básica de cocaína, afirmou a Marinha, que calculou o valor do carregamento em cerca de US$ 8 milhões.

Imagens divulgadas pela Marinha mostram que a cocaína, prensada em pequenos blocos, tem em alto relevo as letras do grupo DMG, sigla de David Múrcia Guzmán, fundador e presidente da entidade que na semana passada sofreu intervenção do Governo, devido à suspeita de captar quantias milionárias de forma ilícita através de "pirâmides financeiras", Múrcia foi detido na quarta-feira passada no Panamá e deportado no dia seguinte a seu país, onde enfrenta um processo por lavagem de ativos, captação ilegal de dinheiro e outros crimes.

A Marinha informou que o carregamento tinha como provável destino a América Central.

Com a cocaína confiscada já são quase 39 as toneladas de alcalóide que foram confiscadas este ano no país em operações conjuntas da Colômbia com os EUA, países que têm vigente um acordo de interdição marítima. EFE jgh/ab/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.